Notícias

Você está aqui:

Conexões, a arte de Tata Owen

Tata Owen é o pseudônimo de Cristiano Schaffer Aguzzoli, neurologista brasileiro e atual Atlantic Fellow for Equity in Brain Health na Global Brain Health Institute/University of California, San Francisco, Califórnia, Estados Unidos.


Cristiano recebeu treinamento em neurologia no Hospital São Lucas da PUC Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil. A vontade de produzir arte utilizando referências da medicina surgiu logo no início das aulas de anatomia na faculdade. A neurologia abriu espaço para explorar ainda mais a conexão entre arte e ciência de uma forma mais experimental.


O projeto Conexões é uma fase mais madura desse processo criativo, usa a estética para dar luz a determinadas desigualdades presentes na medicina, buscando a conscientização e reflexão. O pseudônimo “Tata” vem do apelido de Cristiano na infância e “Owen” é homenagem ao sobrenome da família de seu intercâmbio na Nova Zelândia.

“Connections”, aliás, é o título de uma série simbolizando a perda, em situações várias, da capacidade de conexão e envolvimento com pessoas e pacientes devido à monetização dos cuidados de saúde. O ambiente de trabalho dos médicos mudou com a globalização. “Hoje, pacientes veem com normalidade as consultas rápidas, a falta de anamnese, e o desinteresse na história de vida e desafios que os eles apresentam antes de chegarem na consulta”, pondera o neurologista.


Cristiano menciona que os cartões-postais usados ​​ao fundo das telas visam demonstrar o valor das memórias e dos contatos com os outros.

Em seus trabalhos, pessoas são representadas em cartões postais, remetendo às lembranças da vida e as conexões que fazemos ao longo da vida. Cartões postais são uma prova física de histórias de vida e conexões. As cores de fundo também reforçam esse conceito, realçando as diferenças de paciente para paciente em cores, texturas e propósitos.


O processo criativo inclui a linguagem. Nas pinturas, há referências quanto a preocupações, valores e pensamentos, além das neuro-anatômicas. A abordagem destaca o ser humano, sua saúde, não a doença.

“Na cabeça de um indivíduo há distintos dilemas e anseios; precisamos humildemente tentar entender e respeitá-los. Durante as consultas rápidas, certos médicos perdem a oportunidade de se conectar ao paciente, não se atentando a aspectos importantes de suas vidas e do dia a dia”, questiona Cristiano Aguzzoli.

A série “Connections” está atualmente exposta na Gallery 190 da Universidade da Califórnia em São Francisco, onde permanece até 12 de agosto.

Compartilhe
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
Notícias recentes
Próximos eventos
Nenhum evento encontrado!
Entre em contato
LGPD
Cadastro

Cadastre-se e fique por dentro das novidades e eventos da ABNeuro

© Academia Brasileira de Neurologia