Dia Internacional da Pessoa com Deficiência: faça sua parte



Todos os anos, aos 3 de dezembro, é destacado o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. É uma data especialmente importante à reflexão sobre os portadores de necessidades especiais.


A Academia Brasileira de Neurologia (ABN) realiza historicamente iniciativas de esclarecimento e orientação, para elevar o nível de conscientização quanto às demandas e direitos de quem convive qualquer forma de deficiência.


Seja em abordagens diretas ao público – agora inviável em virtude da Covid-19 -, em notícias no portal abneuro.org.br, nas redes sociais ou em entrevistas à imprensa, neurologistas disseminam informações relacionadas à reabilitação e ao convívio em família/sociedade, entre outras.


Profissionais de saúde, cuidadores e familiares são o centro das manifestações da ABN. No entanto, elas também visam transformar o olhar da comunidade aos portadores, para que tenham melhor qualidade de vida e todo suporte social, em particular no que tange à saúde.


Insuficiência


Em nosso País, vigora desde 20 de dezembro de 1999 a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consagrada pelo Decreto de número 3.298.

É constituída por diretrizes para proteção e apoio. Enfim, um instrumento relevante para “assegurar o pleno exercício dos direitos individuais e sociais das pessoas portadoras”.


A propósito, o documento ressalta, em seu capítulo III, as responsabilidades do Estado, em distintos níveis. Entre as quais, a inclusão social, respeitadas as suas peculiaridades, em todas as iniciativas governamentais relacionadas à educação, à saúde, ao trabalho, à edificação pública, à previdência social, à assistência social, ao transporte, à habitação, à cultura, ao esporte e ao lazer.


É indispensável pontuar que existe distância grande entre o que dispõe a Lei e a realidade. A despeito de trabalho contínuo de diversos setores, inclusive dos profissionais de saúde (médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos dentre outros), ainda enfrentamos insuficiências de acesso e até em questões básicas, como acessibilidade.


A ABN debate essa fragilidade nas esferas políticas, cobrando soluções. Também atua fortemente para vencer eventuais preconceitos e estigmas em consultórios, clínicas, hospitais e no próprio meio da saúde.


Parceira de todas as horas é a senadora Mara Gabrilli, uma das personalidades mais comprometidas com a causa no Brasil e no mundo, além de inspiração para aqueles que convivem com a deficiência e que enfrentam todos os dias dificuldades de se locomover, para estudar, trabalhar e outras tantas.


26 visualizações